sábado, 3 de novembro de 2012

Entre bilhetinhos guardados nas gavetas do coração.

Eram pra ser especiais, coisas especiais, sabe, essas que a gente guarda de alguém, de um dia de sol ou de chuva, coisas que arremetem a felicidade cujo dono do motivo nos transborda alegria ao lembrar, alegrias infelizes também deveriam ser guardadas no coração e deveriam também se fazer tão presentes na memoria assim, meu Deus? Pois se no fundo, no fundo, a gente guarda apenas os "quês" que realmente marcam os momentos que vivemos, existe algum motivo para os meus serem doloridos?
Sempre dói vezenquando, mesmo quando eu não quero que doa.
Ocorreu um erro neste gadget